Caso Demóstenes Albernaz

Posted by in Artigos

Nota para Imprensa

Nosso escritório jurídico foi mobilizado pela Senhora Adriana Dias Horta, para acompanhamentos profissionais, entre eles, de uma causa envolvendo interesse de dois menores, filhos dela e de Demóstenes Albernaz.

O referido litígio iniciou no ano de 2006, em Curitiba, e acentuou-se em 2008 com denúncias envolvendo diretamente os infantes. Assumimos as referidas causas somente em meados do corrente ano, com os ânimos bastante acirrados entre as partes ao longo de mais de cinco anos de tramitação de processos.

Entre as audiências que participamos estava um ato que se realizou na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, perante a Comissão de Direitos Humanos. Acompanhamos nossa cliente e, tendo em vista que uma advogada que trabalhava anteriormente nas causas daria um depoimento, convocamos a presença do Presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MG, Dr. Willian dos Santos, que também nos acompanhou no ato.

Adriana enfatiz a que a busca pela Comissão dos Direitos Humanos foi para serem respeitados os direitos fundamentais de seus filhos. Direitos que foram lesados pelas autoridades do Paraná eis que ficaram inertes diante das gravíssimas denúncias.

Desde o momento em que apresentou as denúncias, Adriana luta pela realização de perícia especializada para comprovar as violências sofridas pelos seus filhos. Quando finalmente a Juíza determinou a perícia (três anos após), o pai dos menores, Demostenes Albernaz se negou a apresentá-los. Entrou com recurso e o Tribunal do Paraná suspendeu a realização da perícia!

Não se trata, portanto, de tentativa de Adriana em desmoralizar a Justiça Paranaense. Questiona os motivos que levaram o Tribunal a suspender liminarmente uma perícia judicial que comprovaria ou não as denúncias. Enquanto isto, seus filhos absurdamente continuam sob o poder do Pai, contra o qual foram dirigidas as referidas denúncias.

Registre-se que a advogada Melissa Albuquerque Sc hulhan trabalhou na causa para o Sr. Demóstenes Albernaz, tendo sido por este escolhida livremente. Portanto, seu depoimento na Assembléia de Minas Gerais se deu de forma autônoma e espontânea.

Roga Adriana, como mãe, que a causa envolvendo o sagrado direito de seus filhos mereça julgamento de forma técnica e célere.

Curitiba, 14 de outubro de 2011.

Adriana Dias Horta, fone 41.9998-0403

Elias Mattar Assad

Eliziane Cristina Maluf Martins

Esta nota refere-se as publicações dos seguintes links:

Matéria do dia 30/09/2011

Matéria do dia 07/10/2011

Matéria do dia 14/10/2011, Página 12.