mensagem 091113 – rosemary noronha

Posted by in Artigos

muito provavelmente, sentindo-se acuada e um bocado abandonada pelos “companheiros”, a amiga íntima do “apedeuta” vem à luz para mandar um recado para os comparsas.
como já sabemos de outras histórias parecidas, ela vem à mídia e balbucia, indiretas, para que a “companheirada” se coce, pois do contrário, ela poderá, se criar coragem, abrir de fato a “matraca”, e contar como funcionava a “boquinha” gerida por ela a mando da quadrilha.
já sabemos como isso funciona e como será o desfecho, que poderá ter dois caminhos:
ou os “companheiros” a acalmam com mimos e afagos,
ou os mesmos “companheiros” a acalmam como o fizeram em outros casos, em especial no caso do ex-prefeito de santo andré, celso daniel.
portanto minha gente, vem aí, cenas dos próximos e eletrizantes capítulos da novela: “um país sem honra e sem futuro”.
escrita, dirigida e estrelada pelo “apedeuta” e sua corja nos papéis principais e com muitos em papéis secundários.
nesta novela, o que está por baixo, movido pela inveja quer derrubar o que está por cima, mas, o dinheiro sempre vence.

(ely silmar vidal – skype: siscompar – fones: (tim) 041-41-9820-9599 – (claro) 41-9821-2381 – (vivo) 41-9109-8374 – mensagem 091113 – rosemary noronha – autoria da imagem Revista Veja)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:

(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:
http://www.elyvidal.com.br

#OGiganteAcordou #ForaPT #ForaPetralhas #MensaleirosNaCadeia #IntervençãoMilitarJá #ElySilmarVidal #ElyVidal #Cojae #Fatenovi #IESS #Conipsi #Dojae #RádioEvangélica #PortalDaRádio #TurbineSuasVendas #GanheVisitas #IgrejaEvangélicaSantoDosSantos #SantoDosSantos #FaleComOPapaiNoel #InstitutoIESS

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/rosemary-noronha-quebra-o-silencio-nao-fiz-nada-de-errado