Nunca mais, nunca mais, nunca mais…

Posted by in Notícias

É interessante que a impunidade no Brasil tem nome e cara, e ainda por cima se veste muito bem, e na grande maioria das vezes em ternos comprados no exterior, apesar de que, em seus afazeres diários a impunidade veste TOGA.
Sim, isso mesmo que você leu, a impunidade já tem casa própria e ainda por cima no STF, onde nada e nem ninguém lhe pode incomodar.
A impunidade também me lembra “O Corvo”, de Edgar Alan Poe, com sua frenética frase “nunca mais!”
Ou seja, nunca mais teremos Pátria, nunca mais teremos saúde, nunca mais teremos educação, nunca mais teremos nada, a não ser uma enorme quadrilha abençoada pela suprema corte do País.
Mas o general, talvez um pouco anestesiado, no mesmo frenetismo do corvo, continua dizendo que ainda existe harmonia entre os poderes. Creio até que ele está dizendo que sim, existe harmonia entre os poderes do crime organizado, porque de fato, eles não estão brigando entre si. (ap. Ely Silmar Vidal – jornalista)

“Joesley, Janot e Fachin tripudiam sobre o povo ao comemorar maior acordo de impunidade do mundo

Foi concluido o julgamento sobre o acordo de impunidade de Joesley, e por 9×2 o STF decidiu que os irmãos donos da JBS possuem direito a total impunidade.

Para tripudiar do povo, o PGR Rodrigo Janot disse que a decisão foi “histórica”. Conforme o principal site de culto a Janot do Brasil (o Antagonista, ou, melhor o Anestesista), o PGR disse: “O recado que se passa hoje, de forma clara, é que os acordos firmados — desde que obedeçam à legalidade e que o colaborador cumpra todas as condições a que se comprometeu –, esses acordos serão mantidos.”

Essa declaração tem o som de “ufa”, pois a imoralidade foi muito grande, sendo repudiada por 81% do povo brasileiro.

Durante o dia, o Anestesista chegou a confessar que defendia um acordo de total impunidade. Eles haviam escrito: “Cármen Lúcia pode dar um golpe na Lava Jato? A coluna de Lauro Jardim, em O Globo, acredita que sim. Leia aqui: ‘Cármen Lúcia deu sinais nos bastidores de que deverá votar pela possibilidade de revisão dos benefícios de um delator se as informações fornecidas não forem eficazes para a investigação.’ Já têm esse entendimento Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello. Se Cármen votar com o trio, Dias Toffoli e Alexandre de Moraes já anunciaram que mudarão seus votos”.

Mas que porra é essa?

Vamos com calma. Temos as situações:

O acordo de impunidade não pode ser cancelado de jeito algum
O acordo de impunidade deve ser cancelado já
O acordo de impunidade deve ser cancelado apenas se as informações fornecidas não forem eficazes para a investigação
A maioria do povo pede (2). Eu incluído. Já essa nova possibilidade era o item (3), que fala do cancelamento apenas se as informações fornecidas não forem eficazes para a investigação. O que o Anestesista propõe é a alternativa (1), ou seja, a impunidade total independente de qualquer condição. E foi essa a alternativa que venceu.

Se isso não é ter um bandido de estimação (Joesley), nada mais é.”

(ap. Ely Silmar Vidal – skype: siscompar – fones: 041-41-99820-9599 (TIM) – 021-41-99821-2381 (CLARO e WhatsApp) – 015-41-99109-8374 (VIVO) – 014-41-98514-8333 (OI) – mensagem 300617 – Nunca mais, nunca mais, nunca mais… – imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:

(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

-:/-lucianoayan.com/2017/06/29/joesley-janot-e-fachin-tripudiam-sobre-o-povo-ao-comemorar-maior-acordo-de-impunidade-do-mundo/